• Go to:

O esfíncter urinário artificial, ou EUA, é um tratamento comum para a incontinência urinária de esforço moderada a grave. Com a ajuda de uma bomba controlada manualmente, o EUA permite que controle a sua bexiga apertando e soltando uma banda à volta da uretra. O objectivo do balão é reduzir a perda de urina durante atividades como espirrar, tossir, correr ou levantar pesos.

Como são colocados os EUA?

Em geral receberá uma anestesia locorregional para ser submetido ao procedimento, mas nalguns casos pode ser recomendada uma anestesia geral. Primeiramente, o médico irá inserir um cateter na sua bexiga para garantir que esta está completamente vazia durante da cirurgia.

O cirurgião faz uma incisão no períneo para colocar uma banda em redor da uretra. Depois, o cirurgião insere o reservatório, através de uma segunda incisão, na porção inferior do abdómen. Finalmente, a bomba é posicionada no escroto e é ligada aos outros dois elementos do dispositivo (Fig. 1). A banda é deixada aberta até o médico a activar algumas semanas depois.

Fig. 1: Esfíncter urinário artificial no trato urinário inferior do homem.
Fig. 1: Esfíncter urinário artificial no trato urinário inferior do homem.

Quando devo ponderar a colocação de um EUA?

O EUA está geralmente recomendado em casos de incontinência urinária de esforço grave ou em casos em que a fita suburetral não curou ou melhorou o seu problema. O EUA tem um efeito prolongado e melhora a sua qualidade de vida.

Tem de ser capaz de controlar a bomba manualmente. Antes da cirurgia ser marcada, o seu médico ou enfermeiro irá falar consigo e explicar como o dispositivo funciona e certificar-se de que se sentirá confortável a usá-lo.

O médico irá pedir alguns exames para se certificar de que não tem contraindicações para a colocação de um EUA. Como parte da avaliação, serão necessários uma cistoscopia e um teste de pensos. Poderá informar-se melhor sobre estes exames na brochura Avaliação e Diagnóstico da Incontinência Urinária.

Como me preparo para o procedimento?

Antes da cirurgia o médico irá solicitar uma análise de urina para garantir que não tem nenhuma infeção do trato urinário. Se tiver uma infeção, o seu médico irá prescrever um antibiótico antes, durante e após a cirurgia.

O seu médico irá aconselhá-lo pormenorizadamente sobre como se preparar para a cirurgia. Se necessitar de anestesia geral, não deverá comer, beber ou fumar nas 6 horas que antecedem a cirurgia. Se estiver a tomar medicamentos prescritos, fale neles ao seu médico. Pode ser necessário interromper algum medicamento alguns dias antes da operação. O seu médico irá dizer quando o deverá voltar a tomar.

Quanto tempo demorará até retomar as minhas actividades diárias?

O seu médico irá, geralmente, remover o cateter no dia seguinte à cirurgia e acompanhará a sua recuperação. Pode ter de tomar antibióticos para prevenir uma infeção. Se conseguir urinar sem problemas e não houver demasiado resíduo pós-miccional na bexiga, poderá ter alta do hospital alguns dias depois. A duração da estada no hospital varia consoante os países.

Depois de ter alta do hospital, o seu corpo ainda necessitará de tempo para recuperar completamente da cirurgia. É por isso que o EUA não será activado até o seu trato urinário inferior ter cicatrizado completamente. Isto significa que nas semanas após o procedimento irá continuar a ter predas de urina. Durante este tempo, também poderá sentir dor na região pélvica, ou sentir dor ao urinar. O seu médico poderá prescrever medicamentos para melhorar estes sintomas.

O seu médico irá agendar uma consulta para activar o dispositivo 4-6 semanas após a cirurgia.

Durante o período de recuperação, o seu médico pode recomendar:

  • Beber 1-2 litros de líquidos por dia, especialmente água
  • Não levantar pesos superiores a 5 Kg.
  • Não fazer exercício pesado
  • Tomar duche em vez de banho e imersão
  • Evitar banhos termais ou sauna
  • Adaptar a sua dieta para evitar obstipação
  • Evitar actividade sexual
  • Evitar andar de bicicleta ou a cavalo. Depois da colocação de um EUA, necessitará de um assento desenhado especificamente para evitar que a bomba seja ativada acidentalmente durante estas actividades.

Precisará de consultar o seu médico ou voltar ao hospital imediatamente se:

  • Tiver febre
  • Não conseguir urinar
  • Tiver perda intensa de sangue, ou dor intensa
  • Reparar que a ferida começa a sangrar ou a deitar um líquido transparente, ou se começar a doer
  • Notar inchaço, dor ou vermelhidão no escroto

Vantagens

  • Elevada probabilidade de curar a incontinência urinária de esforço
  • Efeito duradouro

Desvantagens

  • Muito baixo risco de lesão da uretra, do reto ou da bexiga durante a cirurgia
  • Muito baixo risco de lesão dos intestinos ou de vasos sanguíneos da região pélvica
  • Muito baixo risco de retenção urinária temporária depois da cirurgia
  • Muito baixo risco de incontinência urinária de urgência
    •Muito baixo risco de recorrência da incontinência urinária
  • Risco de hematoma ou hemorragia no abdómen
  • Risco de infeção do trato urinário
  • Risco de infeção do dispositivo
  • Risco de erosão do EUA para a uretra
  • Risco de falência mecânica do dispositivo
  • Mais invasivo do que a colocação de uma fita suburetral
  • Exige a capacidade de manipular o dispositivo e controlar manualmente a bomba
  • Irá permanecer incontinente até o dispositivo ser ativado, 4-6 semanas depois da cirurgia