• Go to:

Os dispositivos de compressão artificial, também conhecidos como balões, são um tratamento comum para a IUE ligeira a moderada. Eles comprimem a uretra logo abaixo do colo da bexiga, para que esta possa resistir à pressão da bexiga cheia. O objectivo do balão é reduzir a perda de urina durante atividades como espirrar, tossir, correr ou levantar pesos.

O dispositivo de compressão artificial, consiste num balão que pode conter fluidos, uma pequena porta de titânio e um tubo que liga a porta ao balão (Fig. 1). A porta permite ao médico regular a quantidade de fluido no balão. São colocados dois balões de cada lado da uretra durante um procedimento minimamente invasivo.

Como são colocados os balões?

Para este procedimento será geralmente submetido a uma anestesia geral, mas nalguns casos pode estar recomendada uma anestesia locorregional. Primeiramente, o seu médico irá inserir um cateter na sua bexiga para garantir que esta está completamente vazia durante a cirurgia.

O médico fará então uma incisão no períneo. Usando raios-X como guia, o cirurgião coloca o primeiro balão num dos lados da uretra, por baixo da próstata. Se tiver sido previamente submetido a uma prostatectomia radical, o balão será colocado por baixo do colo da bexiga. Este procedimento é então repetido para a colocação do segundo balão, do outro lado da uretra.

Finalmente, o cirurgião coloca as portas de titânio no escroto, e liga-as aos balões. Isto é feito para o volume dos balões poder ser ajustado depois da cirurgia.

Fig. 1: Um tipo comum de dispositivo de compressão artificial.
Fig. 1: Um tipo comum de dispositivo de compressão artificial.

Quando deverei ponderar a colocação de um balão?

A colocação de um balão pode ser considerada em casos de incontinência urinária ligeira a moderada. Também são recomendadas quando não são possíveis outros tratamentos cirúrgicos ou não desejar submeter-se a uma cirurgia de maior complexidade.

Como me preparo para o procedimento?

Antes da cirurgia o médico irá solicitar uma análise de urina para garantir que não tem nenhuma infeção do trato urinário. Se tiver uma infeção, o seu médico irá prescrever um antibiótico antes, durante e após a cirurgia.

O seu médico irá aconselhá-lo pormenorizadamente sobre como se preparar para a cirurgia. Não deve comer, beber ou fumar nas 6 horas que antecedem a cirurgia para se preparar para a anestesia. Se estiver a tomar medicamentos prescritos, fale neles ao seu médico. Pode ser necessário interromper algum medicamento alguns dias antes da operação. O seu médico irá dizer quando o deverá voltar a tomar.

Quanto tempo vai demorar até retomar as minhas actividades diárias?

Geralmente, o médico irá remover o cateter logo após a cirurgia e acompanhará a sua recuperação. Normalmente, poderá ter alta do hospital alguns dias depois do procedimento. Se tiver problemas em urinar ou se houver demasiado resíduo pós-miccional na bexiga, poderá ter de ficar mais tempo. A duração recomendada da estadia no hospital varia consoante os países.

Após qualquer cirurgia, o seu corpo necessita de tempo para recuperar completamente. Poderá demorar até 6 semanas até a ferida cicatrizar completamente. Durante este tempo, poderá sentir dor na região pélvica, ou sentir dor ao urinar. O seu médico poderá prescrever medicamentos para melhorar estes sintomas.

Recomendações para as 4-6 semanas após a cirurgia:

  • Beber 1-2 litros de líquidos por dia, especialmente água
  • Não levantar pesos superiores a 5 Kg.
  • Não fazer exercício pesado
  • Tomar duche em vez de banho e imersão
  • Evitar banhos termais ou sauna
  • Adaptar a sua dieta para evitar obstipação

Precisará de consultar o seu médico ou voltar ao hospital imediatamente se:

  • Tiver febre
  • Não conseguir urinar
  • Tiver perda intensa de sangue ou dor intensa
  • Tiver uma quantidade significativa de sangue na urina
  • Reparar que a ferida começa a sangrar ou a deitar um líquido transparente, ou se começar a doer

Vantagens

  • O volume dos balões pode ser ajustado
  • Possibilidade de melhoria da incontinência urinária de esforço

Desvantagens

  • Risco de lesão da uretra durante a cirurgia
  • Muito baixo risco de lesão dos intestinos ou de vasos sanguíneos da região pélvica
  • Risco de retenção urinária temporária
  • Risco de incontinência urinária de urgência
  • Risco de hematoma ou hemorragia no abdómen
  • Risco de infeção do trato urinário
  • Risco de erosão do dispositivo levando a infeção da bexiga, reto ou uretra
  • Risco de recorrência da incontinência urinária
  • Risco de necessitar de outra cirurgia no caso do dispositivo não ser eficaz